Loading

16 de dez de 2010

Saudades...

- De cortar suas unhas
- De ouvir você me chamar de Tonha (tonta mesmo)
- De ouvir suas risadas assistindo "eu, a patroa e as crianças"
- Do seu café
- De ouvir você dizendo  "vem com o pai fio"
- De sua bagunça
- Do seu cheiro
- Dos gritinhos que a Fiona dava quando você estava chegando (nunca mais ela fez isso)
- De ouvir você dizer "te amo fio"
- De sua empolgação em todos os natais para montar a árvore
- De ouvir você dizendo "quem é mais bonito o pai ou a mãe hein fio"?
- De ir a padaria contigo
- Dos seus elogios e principalmente de suas criticas construtivas
- Do barulho de suas chaves
- Do jeito que você fechava o portão
- Da alegria dos nossos filhos de 4 patas quando você entrava
- Da sua pista autorama montada na sala (não sei nem como começar a montar)
- De segundas e terças feiras, era nosso final de semana
- De ligar da rua pra casa, você atender e dizer OI
- De fazer as coisas que você gostava de comer...

Ontem estava passando em frente a TV e o Alexandre Borges fez uma cara em uma cena da novela pensei: "O Beto ia achar hilário esse personagem", mas dessa vez não chorei...

4 comentários:

Blog da Fofa disse...

Soninha... Tantas lembranças lindas, né? As recordações sempre ficarão e o melhor que sempre serão lindas... Q bom poder estar aki. Q bom q vc divide sua história com a gente. Um bjo fofa. Fica com Deus

lolipop disse...

Querida amiga:
As memórias ficam sempre guardadas bem dentro de nós...o bom é quando conseguimos passar daquela fase em que quando elas surgem sempre choramos, para essa outra fase em que conseguimos "conversar" com elas com uma nostalgia doce, mas sem lágrimas rolando...como nesse seu episódio com o actor na televisão...
Carinhos

Maria Helena disse...

Oi, minha querida amiga!
Gostaria que você estivesse aqui ao meu lado e me visse lendo a sua postagem. Não me vi! Mas me percebi! Meu olhar era terno, a minha face era solidária, a minha boca era um sorriso suavemente misturado com a nostalgia e o meu coração batia fraquinho... fraquinho...
Agora, depois que li, uma sensação boa me invade! Não há tristeza. Há um sentimento tranquilo que eu acredito ser o reflexo da paz que o Beto passa pra você e que passa pra cada um de nós que te amamos!
Sabe, por que eu espero para comentar à noite? Só para dizer:
Durma bem, viu?
Bjs

Sergio Martins disse...

A infância é uma época mágica. Na criança o adulto parece rever-se em sua infância. É preciso degustar o máximo de cada fase de um filho; isso faz comos pais voltam à ser crianças. Obrigado pelo comentário em meu blog. Te esperarei por lá sempre com novos textos. Abç!