Loading

3 de mai de 2011

O Quarto Ano...

E devagarinho o fusca branco foi virando o carro dos seus  sonhos (e por consequência o do seu pai, que mal cabia dentro dele): Pneus,  rodas, pintura,  som, motor, e principalmente um banco de tráz que era retirado  com muita facilidade, e em  baixo dele  brinquedos  e  mais brinquedos...
No início de 2008 novamente a inquietude do seu pai, vontade de ir morar em Paranapiacaba, queria um espaço tranquilo e limpo  para   viver, atribuia meus pânicos ao tumulto  da grande metrópole, acreditava  que silêncio, verde e   tranquilidade seria a cura e a salvação de tudo. Sinto  os primeiros sinais de cansaço em seu pai,  totalmente dividido  entre  o ir  e o ficar...acabamos ficando.
Reclamava  que queria ter todo  o tempo do mundo para você ,   tinha uma ansiedade absurda em voltar para casa no final de mais uma noite de trabalho, e bastava você ouvir o barulho das chaves na porta para que acordasse de imediato, sempre de bom humor e dizia: "PAPAI VOCÊ VOLTOU"?
A chegada do fusca foi um dia inesquecível, ele não via a hora de ir poder te buscar na Escola (momento especial de vocês dois,   preferi ficar)...18hs, 19hs...23hs e nada de  voltarem (seu pai não usava telefone celular) e eu em pânico. Finalmente entram os dois com as carinhas mais radiantes que eu já vi em  minha vida, longas conversas  essa  noite entre vocês   dois sobre o carro dos seus sonhos, seu pai, o  homem mais feliz  do universo, e a última frase que escuto dessa noite: "Papai, você é o melhor meu amigo"!
E assim os dias foram passando, e em todos os momentos livres os passeios, as músicas que você ouvia, as músicas que seu pai ouvia, os brinquedos, a felicidade, o seu grito de alegria cada vez que ao sair no portão da Escola o avistava te esperando...(era como se eu voltasse no tempo e visse seu cabelinho loiro se embalando ao vento...o abraço apertado no seu pai, e longas horas de conversa sobre o seu dia agitado na Escola).
Cada gesto, cada movimento seu era  fonte  de orgulho e  admiração  por parte do meu bom José, nessa ocasião você aprendeu a desenhar a primeira palavra: BETO, e também decorava nomes pela forma que  os mesmos  eram  escritos, sabia  os nomes de todos os DVS, quando escritos por seu pai, cantavámos juntos todas as noites assim:

(O Conto do Sábio Chines)
(Raul Seixas)
Era uma vez
Um sábio chinês
Que um dia sonhou
Que era uma borboleta

Voando nos campos
Pousando nas flores
Vivendo assim
Um lindo sonho

Até que um dia acordou
E pro resto da vida
Uma dúvida lhe acompanhou:

Se ele era um sábio chinês
Que sonhou que era uma borboleta,
Ou se era uma borboleta sonhando
Que era um sábio chinês...
Dessa forma nossas vidas iam seguindo, devagarinho dando um passo a cada dia mamãe foi melhorando, pois havia muito amor em  nosso lar, e onde o  amor reina, a dor não tem muito espaço. Amor incondicional de um homem por uma mulher, amor incondicional de um homem por seus (e todos) filhos de 4 patas, amor incondional de um homem por uma criança que não foi por ele concebido, mas que  o ensinou a ter  vontade  de  viver, de  desfincar as raízes, de dizer EU TE AMO, de ter uma vida mais tranquila e saudável, que voltou a andar de bicicleta, que comia  MC Lanche Feliz (só para  que você voltasse  para casa com 2 brinquedos) que demorou quatro  anos para juntar partes de uma pista de brinquedo  só para montá-la junto  com  seu filho,  que aprendeu a posar para  fotos, que  comprou um carro que mal o cabia dentro só para agradar uma criança, que queria viver mais 80 anos para poder carregar seu filho no colo...Que só sabia amar no seu limite máximo, de uma forma sem medidas,  e sabia que era totalmente correspondido por nós atravéz de gestos, cuidados, carinhos ronronados, miados e latidos...
Esses dias tem sido difíceis para nós dois, essas datas que se aproximam são sempre doloridas demais para nós. Respeito sua decisão de participar de todas as homenagens da Escola, e não posso secar seu choro, mas posso te abraçar bem forte,  colar seu coracãozinho ao meu, e fazer um esforço gigantesco para segurar minhas lágrimas (estarei lá filho, te aplaudindo e tentando sorrir), e sem querer te atribuir muitas responsabilidades: Cada vez que olho nos seus olhos eu vejo a continuação do seu pai. E isso não é loucura, É AMOR, AMOR, AMOR..que só aumenta...




17 comentários:

Lílian Alves disse...

A cada depoimento seu, uma emoção. Não tenho o que falar, só que desejo a vocês toda felicidade do mundo apesar de tudo. Beijos...

Lúcia Soares disse...

Sônia, a memória pode ser nossa amiga, ou não.
Podemos nos lembrar de momentos lindos, ou de momentos ruins.
A sua lhe dá os momentos lindos da vida com o Beto e o Santhiago crescendo, descobrindo, idolatrando o pai.
Que privilégio recordar o que foi bom!
Continuo a lhe dizer: o Beto não foi alguém que você perdeu.
O Beto É alguém de quem é bom ter recordações.
Beijo!

Nilce disse...

Oi Sônia

Sei que nunca conseguiria mensurar sua dor querida, mas dói em mim sua narrativa.
Força amiga, que juntos vocês serão a continuação deste grande Amor.

Bjs no coração!

Nilce

Maria Helena disse...

Queridaaaa!!!!
Que pessoas lindassss!!!
Que narração comovente!
Impossível não se emocionar!
Impossível não acreditar no verdadeiro amor!
Abração, querida!

Fernanda Arruda disse...

Olá Sônia
Estou retribuindo sua visita no meu blog. Que coisa mais linda o seu espaço, a causa é triste, mas seu ato é de amor e isso torna tudo maravilhoso por aqui. Parabéns pela iniciativa, seu filho terá um presente lindo mais a frente, quando começar a ler e a entender tudo.
Um beijo.

Beth/Lilás disse...

Soninha,
O amor deste homem continua vivo em você, cada palavra sua exala isto.
O pequeno Santiago, mesmo com a perda do amado pai, sabe que existe esta aura forte que conduz a vida de vocês e sabe, isso é o que importa de verdade, ele sabe-se amado.
beijos grandes, cariocas

Nina disse...

Oooohh Soninha, que bonito, senao fosse tao triste.
Como assim ele nao era o pai do seu menino??
Mas eu já ia dizer o qt eles se parecem nas fotos ali em cima... pra mim sao super parecidos.

Vou ler um pouco mais de seus outros posts, pra ver se entendo melhor a história de vcs, tá?
Um bj!

Lívia Azzi disse...

Felizes daqueles que se lembram daquilo que vale a pena sem forçar o esquecimento daquilo que não foi bom, lembram-se sem esforço de tudo que valeu. Assim é a alegria, mesmo quando vem fortemente ligada na saudade...

"A alegria se repete sempre. Basta lembrar" (Rubem Alves).


Abraço forte de carinho, Sônia!

silvioafonso disse...

.


Martha Medeiros, de uma
forma ou de outra conta a
tua história. Usando palavras
acadêmicas a cronista narra
a felicidade de um casal que
exultava com o nascimento
do primeiro filho. Poucos
meses antes do bebê nascer
o pai, por um golpe súbito
do destino vem a falecer.
Duas constantes e uma
contradição; a felicidade
deles com a chegada do filho
e a tristeza da perda do
pai.
A mãe, no entanto, cria um
diário para contar a vida do
casal carregando na tinta
quando fala do marido agora
morto. Dele nada ela omitiu;
fala de suas poucas amarguras
e da alegria incomensurável
com a chegada do rebento.
Ela, a mãe, tinha o firme
propósito de fazer o filho
conhecer o pai de maneira
que só ela viu e amo um dia.

Um beijo e força, porque é
isso que te sustenta.


silvioafonso






.
alegria que tinha com a

Fernanda Iasi disse...

Menina, tou aqui querendo me estapear! Tava sentindo tua falta e resolví passar aqui pra deixar um bilhetinho. Aí que percebí, não tenho te visto porque achei já tava te seguindo a um tempão e não tava! Pode mais lesa que eu?! Agora sim, não te perco mais de vista. Bjo

silvioafonso disse...

.


A partir de segunda-feira,
09/05/2011, eu faço refe-
rência ao seu blog nesta
página.

http://reflexosespelhandoespa
lhandoamigos.blogspot.com

Um beijo.

silvioafonso




.

Sonhos De Deus disse...

Minha linda não podia deixar de vir ... um lindo dia das mamães vc é muito especial ja ti gostooo muitooo que vc seja querida e amada por toda tua vida papai do céu ti ilumine cada dia maisss viu? bjks no teu coração!!!

Beth/Lilás disse...

Soninha!
Feliz Dia das Mães para você juntamente com seu anjinho encaracolado.
beijinhos cariocas

Maria Helena disse...

Oi, minha querida!

Hoje quero falar ao seu infinito coração de mãe.
Quero falar a um coração que pulsa saudade, determinação, superação, carinho, ternura, compaixão e, sobretudo, amor!
Que toda a energia de amor que você deixa no Universo seja potencializada e retorne para você em forma de felicidade!
Feliz dia das mães!

Do OUTRO lado do espelho... disse...

Que depoimento cheio de amor,uma verdadeira lição sobre amar e viver...vc é muito show minha amiga! E é muito mais forte do pensa ser! O Santiago pode se considerar orgulhoso da Mãe que ele tem, que é feliz com ele, apesar de tudo, pois continua dando sentido à existência!!! Beijo querida e Feliz Dia das MÃES um pouquinho atrasadinho...mas não esquecido!!!

Zilda Santiago disse...

Ainda não entendi bem sua história,mas sei que o Beto,pai do Santhiago desencarnou.Vcs não o perderam é claro,pois a morte não existe.Só o corpo morre.Vcs se reencontrarão um dia e ele está bem vivo e quer vcs felizes.Espero que não sofra ao escrever estas postagens,pois se assim for ele tb sofrerá.Experimente narrar as peripécias do garoto.Faça passeios com ele e narre.Divida este amor com outras crianças e sofrerá menos.ELE vive...Isto é uma certeza.Procure ser feliz.Vc conseguirá e o Beto quer isto com certeza.Espero ter comentado em cima do ocorrido.Bjs de solidariedade,amor e paz!!!!