Loading

10 de jan de 2011

A Sequela da Violência...

Eu tinha uma amiga bem antiga de orkut que mora no estado do Rio Grande do Sul, ela tinha um filho adolescente que era sua vida, o rapaz era lindo, inteligente, companheiro, ele se foi aos 18 aos em um acidente de moto, no dia seguinte de sua morte eu abro o orkut e vejo um álbum inteiro do rapaz, de sua mãe, fotos do velório em todos os ângulos, fotos da dor de Marta, fotos que mostravam a carinha tão linda dele totalmente deformada, fotos que mostravam a cara de Marta totalmente dilacerada pela dor.
Passados alguns dias, voltamos a nos falar, e eu lhe fiz a pergunta que não queria calar:
- Marta, o que deu na sua cabeça pra você expor seu filho daquela maneira?
 Ela respondeu:
- Fiz aquilo Sônia, para servir de exemplo para todos os jovens  que andam em cima de uma moto,  que tomem mais cuidado, fiz aquilo para que todos os pais saibam o que é perder um filho de 18 anos, cheio de vida e que nem tinha começado a vida...
Então hoje, mais uma vez estou aqui para agradecer a  todos vocês que se comoveram com a violência sofrida por meu filho, a cada palavra de carinho, a cada preocupação com as sequelas que Santhiago poderia trazer na alma, agradecer a Carol  pelo post "Bullying", esse texto me tocou com uma profundidade, reacendeu minha dor. E mais uma vez entra em cena minha querida Maria Helena que discretamente me dizia: "Bota a boca no trombone Sônia, grita pra todo  mundo ouvir, não se cale diante de tanta violência", eu gritei alto e ela mais uma vez me ajudou em forma de poesia Um grito por Santhiago. Maria Helena já se tornou uma vogal em minha vida, já não sei mais viver sem sua força, dessa vez  ela foi além: Foi ao fundo de minha alma, e leu o que eu queria dizer mas não tinha coragem, com receio de expor meu filho, mas quando ela disse "vai lá e faz"! Eu fui sem medo.
Hoje eu entendo exatamente o que Marta me disse naquela ocasião.
Santhiago começou a frequentar Escolas com um ano e oito meses, até agora foram quatro, eram Escolas particulares, evidente que em todas as Escolas há algum problema, mas eu nunca tinha enfrentado um dessa natureza, eu costumo dizer sem querer ser dramática que Santhiago perdeu o pai e a mãe de uma só vez, antes o que era divido por dois, ficou apenas pra mim, saio as 4hs da manhã para lutar por Santhiago todos os dias, e quando volto ainda tem a segunda etapa, ultimamente o cansaço físico e mental tem me dominado totalmente, até ano passado Santhiago estudou em  uma Escola razoavelmente boa, eu trabalhava em dois empregos, saia as 4hs de casa e chegava a meia noite todos os dias, eu só via meu filho dormindo, esse ano resolvi colocá-lo em uma Escola Estadual por razões óbvias, tive que fazer uma difícil escolha: ou conviver por algumas horas do dia com ele, ou trabalhar dia e noite para mantê-lo em uma Escola particular, eu e ele juntos escolhemos a primeira opção. Junto com tudo isso carrego culpa, mágoa e outras questões que se eu fosse contar tudo o que passei nesses DOIS ANOS SEIS MESES E VINTE E UM DIAS, daria assunto pra outro Blog.
No dia que aconteceu o fato, por incível que pareça, Santhiago entrou rindo como sempre (apesar da dor e da carinha inchada), quando saí do Hospital fui direto fazer o exame de Corpo de Delito, e ele dizia pro médico: "Dr. o Senhor não vai prender meus amiguinhos não né?, eles estavam nervosos, eles são bonzinhos".
Então é isso que fica, a ombridade, o caráter do meu filho, ele não nasceu do amor, mas renasceu o amor, Santhiago mudou até maneira de se vestir de um homem, Santhiago ensinou um homem a dizer "Eu te amo", Santhiago fez um homem de 40 anos virar criança a ponto de passar quatro anos montando uma pista autorama, Santhiago fez  um homem que nunca tinha dado um passo de dança na vida, perder o medo de parecer ridículo e dançar atráz de uma marchinha de carnaval  cheio de confete e serpentina... Ele é o próprio amor, em forma de carinho de inteligência, de humanidade, de companheirismo, em forma de criança, Santhiago é uma criança linda.
Tem horas que paro e penso: "Essa criança não nasceu de mim, será que é justo ele passar por tudo isso junto comigo?, ele não pediu pra vir comigo", mas depois eu me arrependo de tais pensamentos, ele é tudo que eu tenho, eu sou tudo que ele tem, nós somos parte um do outro, nós somos a vida um do outro, e por ele e seus irmãos de quatro patas, eu sou capaz de tudo, absolutamente tudo....


7 comentários:

Blog da Fofa disse...

Ô minha amiga tão linda, fico feliz de ter participação no seu grito. Santhi é um anjinho que foi premiado com o amor dqa melhor mãe que el poderia ter. Te amo viu minha amiga? Bjos

Maria Helena disse...

Minha querida amiga,
o que dizer diante de uma pessoa que consegue pincelar amor em cada palavra que escreve sobre algo tão doloroso da sua vida?
O que dizer de uma pessoa que todos os dias transcende o cansaço físico para desempenhar o papel de mãe tal qual um anjo?
O que dizer de uma pessoa que tinha tudo para se revoltar com a vida e com a sociedade a ao invés da raiva e da revolta oferece amor aos "Paulinhos" das calçadas da vida?
O que dizer de uma pessoa que oferece a sua história para que outras pessoas se sintam em casa no seu coração?
O que dizer de uma pessoa que me comove até às lágrimas e que me faz constatar mais uma vez que existem anjos no meio de nós?
O que dizer de você, Sônia?
Não sei!
Não encontro uma palavra suficientemente boa para descrever você!
Por isso não definirei nada! Só sentirei sua presença cada vez mais forte na minha vida!
Obrigada por me fazer tão bem!
Sempre rezo por você, Santhiago e seus filhos de quatro patas, todos os dias.
E nunca esqueça que o que você precisar, pode contar comigo, sempre!
Te amooooo, minha amiga!
Durma bem, viu?
Bjs!

Néia disse...

Oi Sonia...
E num outro dia em um outro post você disse querer escrever como poeta. Meus Deus, se isso não saiu de uma poeta eu não sei mais nada.
Acho que nem há mais nada pra falar, seu texto poetico fala por si só, mas diria apenas uma coisa, o que pode haver de mais lindo neste mundo quando Deus, uma força do Universo, ou qualquer outra crença desejasse que ele fosse seu e do Beto e vocês dele. Não há o que pensar, se arrepender... É assim que tinha que ser. Estou lendo seu blog homeopaticamente e quase tenho esta certeza. O teu filho é a coisa mais linda,então viva seja feliz por que ele, basta olhar nos olhinhos brilhantes para ver a felicidade. Tudo isto vai passar para ele...
Beijos e desculpa ecrever tanto.

Beth/Lilás disse...

Sonia,
Desde o primeiro dia em que te li, na apresentação da Lolipop nossa amiga querida, senti tanta energia positiva, além da dor que carrega, da responsabilidade pelo filho que ficou e que cuida tão amorosamente, da sensibilidade extrema, da pessoa iluminada que és.
Tenha força, você conseguirá tudo, estando de pé e com o amor de Santhiago a lhe impulsionar.
Estamos aqui do outro lado da telinha (por enquanto) para lhe apoiar com palavras verdadeiras e generosas.
beijo grande, carioca.

Lua Nova disse...

Minha querida, também fui obrigada a por meus filhos em escola pública e tive que fazer imenso esforço para não passar para eles toda minha frustração e medo. Não pude evitar que eles sentissem a mudança, mas com o tempo, superamos essa etapa. Não tenha pena do seu filho e nem se pergunte se ele merece o que está passado com vc. Não acho que as coisas acontecem por acaso e o que não nos mata, nos fortalece. Procure manter-se otimista,por mais difícil que pareça ser, pois é da sua força que ele tirará a dele. Por outro lado, vê-lo crescer seguro de si, confiante e feliz, é o que lhe dará forças para continuar.
Beijokas, minha xará!

Nilce disse...

Oi Sônia

Você tem uma força extraordinária que transcende essa tela querida.
As suas palavras nunca serão um lamento e sim um bom desabafo de quem ama e muito.
Nada de mal há de ficar no coração de duas pessoas que têm tanto amor para trocar.

Bjs no coração!

Nilce